segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Em busca de audiência "Chega Mais" descarta o pouco conteúdo que tinha

Em março a RedeTV! lançou um novo programa para abrir seu horário nobre nas noites de domingo, trata-se do "Chega Mais", uma atração que começou apostando em pautas do mundo da moda, tanto que o elenco é formado por modelos, além dos apresentadores que também são da área.
As primeiras edições até começaram bem, o quadro "Cinderelo", por exemplo, que teve por objetivo dar uma oportunidade para um rapaz pobre explorou a vida do garoto sem sensacionalismo. A edição rápida, a trilha sonora e o pacote gráfico também tinham uma participação importante nas matérias e quadros.



Mesmo com todos esses fatores positivos o programa dificilmente registra 1 ponto no Ibope. E talvez os motivos para esses resultados, sejam o dia e horário de exibição e principalmente a concorrência, já que enfrenta programas de maior peso e consolidação na audiência.
Buscando melhorar seus índices, a atração passou por algumas reformulações e o que vemos agora no ar é mais um programa de auditório sem conteúdo que aposta em quadros já explorados por outros programas, como o "Na mira das divas", parecido com o "Elas querem saber" do "Programa Raul Gil".
Se por um lado a atração abandonou o conteúdo voltado à um público específico e assim consegue ser classificado como um programa voltado à "toda a família", por outro, o dominical perdeu sua identidade, sem contar a disputa de homens e mulheres com perguntas fúteis e torta na cara, onde cada piada ou "gracinha" é reprisada através de uma edição barata. O "Chega Mais" era uma boa atração, mas sem fôlego para enfrentar os concorrentes. Era melhor a direção da emissora pensar em outro dia e horário e continuar com as pautas voltadas à moda, do que modificar tudo em nome da audiência.

Nota


Cúmplices de um resgate A nova novela do SBT é interessante. As tramas, tanto a principal, quanto as paralelas são boas e o elenco sintonizado. Normalmente nos primeiros meses os atores, principalmente as crianças, como foi no caso de "Carrossel" e "Chiquititas" parecem ler o texto em cena, mas não é o que se vê na história das gêmeas Manuela e Isabela. A protagonista já provou que foi a escolha mais certeira da novela. Larissa Manoela está defendendo muito bem as personagens de personalidades tão diferentes. A prática traz o amadurecimento e nesta terceira produção infantil do canal dá pra perceber isso.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Ajustes em "Babilônia" agradam à muitos, mas decepciona os verdadeiros fãs

Foto: GShow

Os ajustes para salvar "Babilônia" já começaram e uma das estratégias de promoção da atual novela das 9 foram as chamadas que prometiam "uma semana de grandes revelações" a partir do capítulo que foi ao ar nesta segunda-feira, 06/04. 
Quem vem acompanhando a trama logo percebeu as primeiras mudanças. O capítulo em si foi monótono e não lembra em nada a agitação da estreia, mas isso é totalmente compreensível, pois ficou claro que neste capítulo 19 foram exibidas cenas que já tinham sido gravadas juntamente com desfechos alterados e gravados às pressas, como por exemplo, a relação de Alice e Murilo, que acabou em discussão quando a moça compreendeu que a verdadeira intenção do rapaz era de usá-la para a prostituição sem o seu consentimento, ou a postura da mocinha Regina, que conseguiu ouvir toda a explicação de Vinícius sem partir para a intolerância.
O texto continua afiado, criticas aos valores da sociedade estão em discussão nos diversos núcleos da trama e talvez essa, que é uma das melhores qualidades de "Babilônia", também perca espaço, pois, como muitos estão dizendo na internet, o público conservador não está preparado para as realidades que a história vem abordando.
Em nome da audiência a Globo está promovendo mudanças, que com certeza, não agradarão os que esperam conflitos marcantes, como por exemplo, a prostituição de luxo, a homossexualidade do pai de um homofóbico e ainda as maldades das vilãs Beatriz e Inês. Talvez se "Babilônia" tivesse sido escalada para às 23h teria mais liberdade para tratar esses assuntos sem ter que ficar alterando o texto para agradar os mais conservadores.

Nota

Correndo atrás O "CQC" desta segunda (04/04) apresentou melhoras quando comparado à primeira edição da temporada 2015. Percebesse uma atenção maior voltada à interação com o telespectador através das redes sociais, assim como matérias que chamam a atenção pela criatividade e abordagem, como foi o caso da entrevista com uma moça que recebeu comentários maldosos de haters da internet. Outro destaque foi a experiência de um dos produtores do programa como repórter. Dan Stulbach está mais à vontade na apresentação e o melhor: não está mais aos berros.
O erro tem sido o horário. O humorístico está entrando no ar às 23h. A direção da Band deveria aproveitar a baixa audiência da novela global e exibir o programa mais cedo, 22h30, por exemplo.           

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Globo arregaça as mangas e adota estratégias para salvar "Babilônia"

Não é novidade para ninguém o fracasso da atual novela das 9, "Babilônia", que entre boicotes e rejeições vem perdendo espectadores a cada dia. Os 33 pontos de estreia (16/03) são bem diferentes dos registrados na 1ª quarta-feira de abril, quando a trama registrou apenas 23.4. Os números já são piores do que os alcançados por "Em Família". 
Descobrir o que não tem agradado o telespectador não é tarefa fácil, pois, a novela de Gilberto Braga ("Vale Tudo" e "Celebridade") em parceria com Ricardo Linhares (remake de "Saramandaia") e João Ximenes Braga ("Lado a Lado"), é recheada de ação, tramas e personagens interessantes, fatores que faltavam na última história contada por Manoel Carlos.  
Há vários motivos para explicar essa rejeição. Um deles seria as fortes cenas de violência e sexo. Outro é a programação da concorrência. O SBT voltou com sua bem sucedida "Carrossel" no mesmo 16 de março e viu sua audiência dobrar, atingindo entre 10 e 12 pontos. Já a Record, que alterou sua grade, passou a exibir o "Jornal da Record" na faixa das 21h30 ganhando 4 pontos a mais. 
Existem também especulações, e a que ganhou mais comentários foi a presença do casal de idosas lésbicas, algo já descartado, até porque, ainda em comparação com "Em Família", um dos núcleos de maior sucesso da trama foi justamente o relacionamento afetivo das atrizes Giovanna Antonelli e Tainá Müller.
O plano para salvar "Babilônia" já entrou em ação: dar mais destaque para os casais, diminuir as polêmicas, clarear as imagens e abertura, que foram criticadas por serem escuras, chamadas mais atraentes e até a presença do elenco em vários programas da casa. Resta esperar para ver se todas essas e outras estratégias surtirão efeito.    

Novo logotipo da novela das 9
Foto: TV Foco

Notas

Bons resultados "Sete Vidas" já começa a colher os frutos do excelente trabalho. O ótimo texto, construído em cima dos relacionamento familiares, e as imagens surpreendentes da Patagônia e de Fernando de Noronha têm ajudado o desempenho da nova novela das 6. Desde a estreia, a trama de Lizia Manso vem marcando médias de 17 e 19 pontos. Em algumas ocasiões chega a registrar 20 e 21. Vale destacar a escalação do elenco, um time de peso. Thiago Rodrigues, nasceu para atuar como Luís, o irmão que pega no pé da gêmea irresponsável, Laila. 
Sem dúvidas é a melhor história da Globo atualmente no ar.      

Surpreendeu A novela "Os Dez Mandamentos" já provou ser um grande acerto na grade da Record. Na estreia, (23/03) houve um empate com "Chiquititas", ambas marcaram 12 pontos. Nos demais confrontos (até 1º de abril), a trama bíblica abriu vantagem sobre a novela infantil do SBT, foram 7 vitórias. A história tem marcado entre 11 e 13 pontos.

Surpreendeu 2 Outra novela que melhorou os índices da Band no horário de exibição é a turca "Mil e Uma Noites". Registrando entre 2 e 3 pontos, inclusive aos sábados, a novela triplicou as médias da emissora na faixa das 20h30.

Desce Ainda na liderança, é notável a queda de audiência do "Vídeo Show". Diferente do que foi postado aqui alguns meses atrás, o programa, que estava atingindo médias de 9 e 11 pontos, atualmente tem marcado 8 e 9 pontos. Nesta segunda (06) o vespertino inicia uma nova fase com apresentação ao vivo e novos integrantes e quadros. As apostas são grandes.

terça-feira, 10 de março de 2015

CQC faz estreia morna na temporada 2015

Foto: Band

Após encerrar 2014 em baixa, o "CQC" estreou sua tão aguardada nova temporada na última segunda-feira (09/03) sem muitas novidades. As promessas de novos ares para o formato ficaram restritas apenas ao elenco, vinhetas de abertura e intervalo e cenário.
Maurício Meirelles e Lucas Salles continuam no time de reportagens, acompanhados dos novatos Erick Krominski e Juliano Dip, que fizeram boas estreias nos quadros "SAC" (Serviço ao Consumidor) e o "Proteste Já". Rafael Cortez, voltou ao programa como um dos nomes da bancada e seu quadro de maior destaque, o "CQTeste". Mas, a atenção da crítica e do público estava voltada para Dan Stulbach, que assumiu o posto de apresentador principal, no lugar de Marcelo Tas.
Sem sombra de dúvidas, essa era a grande expectativa em cima do humorístico e o ex-ator global soube defender o título, mas poderia ter evitado os diversos gritos que deu na hora de anunciar as atrações.
Mesmo com os novos quadros que foram apresentados nesta primeira edição ou com os que ainda vão estrear, conforme as informações no site da Band, o "CQC" não parece ter conseguido se renovar, diferenciar a embalagem atual do produto que foi apresentado no ano passado, algo que aconteceu com o "Pânico", por exemplo.

Notas

Não sabe perder Já não é novidade que a Globo está esticando os capítulos de "Império" nas terças e quintas para frear a concorrência do programa "Gugu". Se os autores já reclamam da quantidade de meses no ar (em torno de 7 e 8), imagine qual é a opinião dos mesmos quando um capítulo dura quase duas horas? Sorte do Aguinaldo Silva, já que a trama do Comendador acaba nesta semana. 

Péssima escolha O SBT vai reprisar a novela "A Usurpadora" pela quinta vez em suas tardes. A ideia de exibir a mexicana é que ela é um forte produto contra o sucesso de "O Rei do Gado", que já se tornou um dos melhores acertos do "Vale a Pena Ver de Novo". O que a direção da Anhanguera não entende é que o fênomeo da novela global se dá pelo longo tempo fora do ar, pelo menos na tv aberta, já que a única reprise da trama de Benedito Rui Barbosa foi ao ar em 1999.

Tapa buraco O programa de pegadinhas "Te Peguei" da RedeTV! já pode ser chamado de coringa da programação da emissora. Exibido duas vezes por dia de segunda à sexta e uma aos sábados e domingos, o humorístico sempre é a solução para substituir uma atração que saiu do ar. O último caso é o infantil "TV Kids" que antecedia o "Você na TV" de João Kleber.

Subiu Desde a estreia aos domingos o programa "A Liga" da Band vem subindo na audiência. Na primeira edição (15/02) no novo dia, o jornalístico registrou 1 ponto. Já na semana passada (08/03) a marca foi de 3,3 pontos.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

"Estreia" de Gugu na Record lembra muito sua fase no SBT

Ontem (25/02) foi um dia de grande expectativa no mundo da televisão com a estreia do programa "Gugu" na faixa nobre da Record. Acompanhadas da música "Pintinho Amarelinho" as chamadas da atração deixaram claro que todos os ingredientes que deram certo na fase áurea do apresentador no SBT estariam de volta juntamente com quadros novos. E se a proposta era causar nostalgia o programa alcançou seu objetivo.
Gugu retornou com atrações simples, como: as sonolentas curiosidades do peixe pacu ou o jogo de perguntas e respostas com os convidados que foi salvo pelas besteiras que o cantor Leonardo dizia. E essa simplicidade é o que garantia a fácil vice-liderança do animador na antiga emissora, algo muito diferente da sua primeira passagem pela Record que foi marcada por altos investimentos que às vezes não impediam as derrotas para o programa "Eliana".
Porém, o sucesso do "Domingo Legal" era atrelado às polêmicas e o jornalismo que sempre fizeram parte do histórico do programa. E para fazer bonito na segunda estreia, a atração trouxe uma extensa (no sentido cansativo da palavra) entrevista com Suzane von Richthofen marcada com uma edição pra lá de dramática.
Enfim, o programa é um belo prato de "feijão com arroz", sem grandes novidades, mas bem feitinho, suficiente para atender a carência de um público que procura um programa com um bom comunicador nas noites de semana. As semelhanças com o "Domingo Show" do Geraldo Luiz é gritante, a diferença fica mesmo nos dias e horários das exibições.  
O lado bom de tudo isso é que a produção do "Programa do Ratinho" vai ter que pensar em novas estratégias para enfrentar o ex-pupilo de Silvio Santos. Quem ganha com isso é o telespectador que vai priorizar a atração que mais oferecer o conteúdo que ele está buscando.

Foto: Bastidores da TV

Notas

Cansativo Além de exagerar na dramatização na entrevista com Suzane, o tempo de duração do bate papo foi enorme, fazendo que o programa ficasse mais de duas horas e meia no ar.

Cansativo 2 O Pânico também exagerou na duração do programa de estreia. Começado às 21h30 (após o programa "A Liga") o humorístico iniciou a nova temporada com meia hora de atraso, comparado com a de 2014 e foi até 24h25.

Novidades A RedeTv! estreia duas atrações nessa semana. A primeira é a nova temporada do "Operação de Risco", substituindo o reality "The Bachelor" que acabou na última sexta-feira. Já a segunda é o programa "Chega Mais" que será exibido aos domingos às 18h30.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Temporada 2015 do Pânico na Band estreia com boas novidades

No último domingo (22/02) o "Pânico na Band" estreou a temporada 2015. E a expectativa em cima da atração era grande, já que em 2014 o programa registrou péssimos índices de audiência e a promessa de um novo fôlego viria depois das férias.
Parte do elenco foi renovada e entre os novos integrantes estão: a repórter Mari Baianinha, que acompanhada de Christian Pior alfinetou os famosos em uma festa à fantasia e mostrou que tem bom improviso; o repórter Patrick Maia, que ainda não ganhou um quadro e apresentou três matérias, intituladas "tentativas de quadros"; o novo Silvio Santos e a Panicat Aline.
Durante praticamente suas três horas de duração o programa apresentou parte das novidades para este ano, como o quadro "Apagão", formato onde os integrantes precisam testar o tato para vencer. Gui Santana foi uma diversão a parte no escuro. Falando nele, o humorista estreou uma paródia do extinto "Tá na Tela" com Luiz Bacci. Outra imitação foi o "Domingão do Fausão", interpretado por Carioca. Já o quadro do Poderoso ganhou investimentos, agora a atração acontece em um teatro na cidade de Paulínia e conta com a participação do público.

Foto: Band

Essa primeira edição do humorístico fez barulho e estreou bem redondinha, quase não deixando o telespectador perder o interesse (a exceção talvez tenha sido o dia-a-dia dos bonecos de Olinda após o carnaval), tanto que o primeiro intervalo aconteceu depois de quase duas hora no ar. Outras novidades foram prometidas para o segundo programa pela falta de tempo, como as matérias dos repórteres Vesgo e Mendigo, que retornou ao programa.
Para a semana que vem também tem a entrada de Tiririca, que ainda é uma incógnita se será boa, pois o humorista não tem muito a cara da atração. Mas, uma das características positivas do "Pânico" é justamente a de saber dosar o novo sem que isso interfira na identidade do programa que há anos já está formada para o telespectador.
É cedo para afirmar se o programa vai voltar marcar bons índices na audiência, mas quem já assistia a turma de Emílio Surita com certeza gostou do de viu. O desafio agora é resgatar o público que em algum momento trocou de canal e não voltou mais a acompanhar a atração.

Nota

Começou mal No mesmo dia da exibição do Oscar, o Paramount Channel exibiu o "Spirit Awards", uma premiação do cinema independente que aconteceu em Los Angeles. Seria a estreia de algum conteúdo produzido pelo canal no Brasil, já que nem as chamadas possuem locução. Mas, não foi. O evento que foi exibido ao vivo foi ao ar sem dublagem. Entre transmitir um conteúdo com áudio original, sem oferecer recursos para quem assiste e exibir filmes, seria melhor escolher a segunda opção. 

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Reta final da série "Milagres de Jesus"


A segunda e última temporada da série "Milagres de Jesus" está chegando ao fim. E a Record só tem motivos para comemorar, pois quase todos os episódios das duas fases alcançaram a vice-liderança com médias entre 7 e 9 pontos.
E não é para menos. Os cenários da cidade cenográfica e as ambientações externas são incríveis, além das ótimas imagens cinematográficas e elenco.
Uma curiosidade da história é que apesar do título levar o nome de Jesus, o protagonista nunca foi ele e sim as pessoas que recebem seus milagres. Com isso, o rosto da personagem não aparece em foco, apenas sua voz. Aliás esse é o grande ponto negativo da série, pois a voz de Jesus é dublada e lembra muito os filmes bíblicos antigos que são clássicos na grade das TVs em datas especiais como páscoa e natal.
Apesar do rosto de Cristo não ter sido mostrado até agora, algo curioso aconteceu no episódio da última quinta-feira (20/02). Em uma sequência de imagens, nas quais são mostrados os que são a favor e os que são contra a condenação de Jesus à morte, uma tomada dos olhos do mesmo foi exibida, mas os olhos não eram do ator Flávio Rocha, que interpreta a personagem e sim um rosto carimbado nas produções da Record, Heitor Martinez.
Agora a dúvida é saber se a produção usou esse recurso para despistar a curiosidade do telespectador em cima do ator ou se foi um descuido mesmo.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Band precisa investir na grade vespertina com atrações infantis

Em 2014 as manhãs da Band eram formadas pelas atrações "Café com Jornal", "Dia Dia" e "Band Kids", mas a decisão de cortar gastos fez com que a grade passasse por alterações. Com isso, desde janeiro, os dois primeiros programas ganharam maior duração artística, ocupando toda a faixa matutina. Já a grade vespertina perdeu investimentos e agora a emissora tem encontrado dificuldades para fixar atrações no horário antes ocupado pelos programas "Sabe ou Não Sabe" e "Tá na Tela".
Uma programação que não exigisse gastos (pegadinhas e "Os Simpsons") foi a solução para continuar mantendo bons índices, porém os números despencaram e o game apresentado por André Vasco voltou ao ar, mas também não alcançou as médias que registrava quando antecedia o programa de Luiz Bacci.
Nesta semana, uma terceira opção passou a ser exibida antes do jornalístico "Brasil Urgente", trata-se da série "iCarly". Na quarta-feira (04), a atração registrou 2 pontos de média, audiência maior que "Glee", outro seriado exibido na faixa noturna do canal.

Foto: Band

O que vale destacar é que com a exibição do programa infanto-juvenil, a Band voltou a dedicar um pequeno espaço de sua grade para o público dessa faixa etária. Com investimentos - leia-se aqui: novos desenhos e séries, melhor divulgação e maior tempo de duração - a emissora pode oferecer um atrativo diferente de suas principais concorrentes, que neste horário exibem programação adulta. É de se esperar que isso não seja tratado apenas como um tapa buraco na grade, porque se for e a série não conquistar bons resultados, os seus dias na tarde da emissora já estão contados.

Notas

Subiu os índices da novela "Alto Astral" nas últimas semanas. Depois de registrar médias entre 18 e 21 pontos, a trama das 7 voltou a crescer na audiência, registrando entre 19 e 23. Tudo isso, graças aos dramas de algumas personagens que despertaram o interesse do público, como a chantagem de Sueli sobre o antagonista Marcos e o segredo de Tina, prestes a ser descoberto pela protagonista Laura. 

Vai entender Em janeiro, a Band voltou a exibir a nova temporada da "A Liga" às quartas-feiras. Agora que iniciaram os campeonatos estaduais de futebol não se sabe que dia o programa irá ao ar. O mesmo aconteceu em 2013, quando nas quartas era exibida a primeira temporada da série "The Walking Dead" que passou para as terças quando o futebol voltou ao ar. Será que falta planejamento?

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Vídeo Show sai de crise e se estabiliza na audiência

Foto: Seu Canal

Depois de derrapar na audiência e ser várias vezes ameaçado pela concorrência, o "Vídeo Show" parece ter saído da crise que começou com o novo formato da atração. 
Alterações, como a apresentação, que agora é comandada por Otaviano Costa e a volta dos bastidores e divulgação da programação da casa, foram algumas das medidas tomadas para recuperar a atenção do público, que respondeu com os números no Ibope. Nas últimas duas semanas, de 15 a 29 de janeiro, por exemplo, o programa teve médias de 9 e 11 pontos.
Logo, a revista ganhará novo formato para atender a nova diretoria que ficou a cargo de Boninho e também para comemorar os 50 anos da Globo. E o diretor já começou a mexer na atração, quase todo o elenco de repórteres já foi dispensado e nomes que marcaram a melhor fase do programa, como Miguel Falabella e Cissa Guimarães em breve estarão de volta.
Não adianta discutir, assistir televisão é hábito e o que determina o sucesso de qualquer produção, seja ela nova ou não, é se a mesma vai atender aos gostos do telespectador, como horário, conteúdo e modificações que não prejudiquem a sua essência.
Essa nova fase do Vídeo Show é aguardada com bastante ânimo por quem gosta de bastidores de televisão. Os números estão mostrando aquilo que o público quer ver, agora, se o programa vai conquistar melhores índices daqui pra frente vai depender da equipe de produção saber valorizar o verdadeiro formato da atração.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Ajustes nas grades de Globo e SBT podem favorecer a audiência

Para comemorar seus 50 anos, estrategicamente a Rede Globo voltou a exibir a consagrada "O Rei do Gado" no "Vale a Pena Ver de Novo", aliás há tempos uma novela não fazia jus ao título da atração. O sucesso é tanto, que os índices da obra de Benedito Rui Barbosa estão atingindo entre 16 e 18 pontos, números mais expressivos que as inéditas "Malhação", 13 e 15 e "Boogie Oggie", 16 e 17.

Foto: Globo

Olhando esses números não tem como não pensar se o efeito cascata seria melhor se houvesse uma inversão de horários entre as atrações juvenil e a saudosista. Nesse caso "Malhação" começaria após a "Sessão da Tarde", que por causa de alguns títulos que exibe, atinge um público mais jovem, pode até ser que não seja o mesmo da novelinha teen, mas ainda assim é um telespectador diferente do que assiste as novelas reprisadas. No caso de alteração, a grade contaria com dois programas que atingem um público mais novo e na sequência teria início a programação adulta. Isto é uma hipótese e poderia melhorar a audiência vespertina do canal carioca. 
Outra emissora que deveria apostar na mudança de programas é o SBT aos domingos. O "Roda a Roda Jequiti" que não apresentada novidade alguma (até o site está desatualizado), derruba a audiência conquistada por "Eliana" e o "Programa Silvio Santos" durante suas quatro horas de duração aos poucos vai recuperando os índices até chegar a liderança a partir das 23h15 com o encerramento do "Fantástico". Imagine se a atração do apresentador já começasse com os bons números alcançados pela atração anterior?
Agora que Marília Gabriela deixou a emissora, o SBT poderia aumentar a duração do programa de prêmios para os consultores da Jequiti nas quartas e extinguir a exibição aos domingos. O interessante é que nesse dia o game show vai bem na audiência e além de constantemente alcançar a vice-liderança entrega o horário para o "Programa do Ratinho" com uma boa média.
É de se pensar!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

SBT pode investir na grade sem recorrer ao Chaves

A primeira temporada do Cozinha Sob Pressão do SBT acabou e enquanto não chega a próxima safra de episódios, o horário em que a atração era exibida, sábados às 18h15, ficou vago e foi preenchido pelo velho coringa da emissora, Chaves. 
Em recente entrevista ao crítico José Armando Vannucci, o diretor de programação, Murilo Fraga, disse que vai chegar um momento que o seriado mexicano ficará perdido no conteúdo HD do canal e que será preciso encontrar um horário especial para continuar atendendo o público saudosista. Mas, porque não começar a diminuir o espaço da série desde já?
Faltou estratégia do SBT para substituir a atração de Carlos Bertolazzi por um produto de qualidade, isso faz com que a grade seja prejudicada, se a emissora não colocar um programa de peso neste horário, algo que prenda a atenção do telespectador, quando a disputa gastronômica exibir a segunda temporada, vai precisar de muito esforço para trazer de volta o público que deixou de acompanhar o canal, no horário, com o fim do programa. A primeira edição, apesar de boa, não gerou grande repercussão, como o Master Chef da Band, por exemplo,
Uma sugestão, é que a segunda temporada voltasse no horário das 21h15, em substituição ao Esquadrão da Moda, que precisa de férias, para se renovar e apresentar novidades. Isso, seguido da terceira temporada do Festival Sertanejo, assim os dois programas voltariam a ser exibidos no final de setembro e apresentariam suas finais no último sábado de 2015. Já o horário das 18h15 seria preenchido pelo programa Raul Gil, que começaria um pouco mais tarde, dando espaço para a atração de animais domésticos, Mundo Pet. E quando esse também pedir um descanso, a grade cederia espaço para o reality Menino de Ouro.
Abaixo o modelo:

14h15 - Mundo Pet/ Menino de Ouro
15h15 - Programa Raul Gil
19h15 - Programação das afiliadas
19h45 - SBT Brasil Especial
21h15 - Esquadrão da Moda/ Cozinha Sob Pressão
22h15 - Cine Família/ Festival Sertanejo  

Longe de criticar o seriado, que por sinal é uma boa opção em confronto aos policialescos das concorrentes, mas quando o SBT recorre ao Chaves para tapar buracos de sua grade, prova que falta planejamento e ousadia para querer melhorar a programação. Não que essa minha sugestão é a melhor indicada, mas pelo menos nela, o garoto do barril recebe o seu merecido descanso.       

Foto: F5

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Alto Astral tem queda na audiência

Depois de duas novelas seguidas com temáticas inovadoras, o que acabou afastando o público da frente da TV (muitas vezes as pessoas reclamam que as novelas são sempre a mesma coisa e quando aparece uma história com algo diferente, logo é rejeitada), a Globo apostou em Alto Astral para recuperar a audiência, isso porque a nova trama das 7 é recheada de elementos clássicos de um bom e velho folhetim, como um vilão que tenta separar os mocinhos, uma pitada de humor, que é a grande sacada do horário e o desenrolar da história que sempre acaba com um certo suspense para prender o telespectador e fazer que o mesmo assista o próximo capítulo. Não que Além do Horizonte e Geração Brasil não possuíam essas características, mas o fato de a primeira ser inspirada em séries e filmes gringos e ter como tema um drama policial e a segunda contar como pano de fundo a tecnologia, ou seja, fugir do padrão, não agradou os amantes de novela. 
Voltando à obra de Daniel Ortiz, quem acompanhou o começo da história de Laura (Nathalia Dill) e Caíque (Sergio Guizé) de cara já gostou do que foi apresentado. Os núcleos, como o da família Pereira e alguns dramas, como o paradeiro do esposo de Suzana (Adriana Prado), o mistério de Tina (Elizabeth Savala) ou mesmo a espiritualidade do protagonista e de Claudia Raia, que é tratada de uma maneira divertida, faz com que as ações das personagens não girem somente em torno do casal principal, isso é bacana, pois assim, a maioria do elenco ganha um certo destaque na novela. 
Mas, esses esforços não estão sendo suficientes para prender a atenção do público. No início, a média era de 22 a 24 pontos de audiência, agora os números marcam 18 e 21. Vários fatores contribuíram para essa queda, como o horário de verão, o efeito cascata que começa com o mau desempenho de Boogie Oogie, que registrava 20 pontos e hoje está na casa dos 15 e 17, porém os fatores que mais prejudicam os índices de Alto Astral são a divulgação e o próprio andar da carruagem. 
Os constantes flashbacks das personagens dão um ar de barriga (quando a história fica andando em círculos e não avança), mesmo que sem intenção. Alguns, aliás, acontecem no mesmo dia que a cena foi ao ar. A sensação é de que o autor quer explicar o que está acontecendo, através do "remember", para quem perdeu algum capítulo.     
Já nas chamadas curtíssimas na programação da emissora observamos apenas o que vai acontecer com o casal principal, que não está sendo o mais interessante da história. As chantagens de Sueli (Débora Nascimento) pra cima de Marcos (Thiago Lacerda), por exemplo, chamam mais a atenção. A solução poderia ser duas chamadas diárias, uma para os protagonistas, outra para as tramas paralelas.     

  
É claro que atualmente, os números do Ibope não são os únicos meios de medir audiência e popularidade de qualquer programa de TV. Como disse Mauricio Stycer, recentemente em uma crítica à novela Império, as redes sociais e a repercussão da história como assunto no cotidiano das pessoas também demonstram o sucesso da história, mas essa não é a realidade de Alto Astral.
Ainda é cedo para classificar a trama das 7 como boa ou ruim, novas personagens estão para entrar e talvez movimentar mais a história, o horário de verão logo acabará e a reta final de Boogie Oogie pode levar mais telespectadores para a frente da TV mas, não tem como não enxergar os baixos números de Alto Astral como um desinteresse do público.         

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Vídeo Show está em busca de nova identidade para resgatar audiência


Com a pretensão de recuperar a audiência do Vídeo Show, em novembro de 2013, a Globo novamente reformulou a revista eletrônica que divulga sua grade e relembra programas antigos. As novidades ficaram por conta da apresentação, que agora leva o nome de Zeca Camargo, além de novos repórteres, arte.
O cenário também foi modificado, ganhou um auditório, onde artistas da casa participavam para falar de suas personagens, essa homenagem passou a ocupar todo o espaço da atração, e não agradou a todos, pois o uso de arquivo, uma das principais características do programa, praticamente foi dispensado. Todas essas mudanças resultaram em queda na audiência e a antiga vantagem da emissora carioca sobre as concorrentes ficou menor.
Alterações precisaram ser feitas: a abertura não é mais exibida, Otaviano Costa ganhou espaço, mais repórteres foram contratados, o recurso do arquivo e alguns quadros antigos voltaram a ser usados, mas não na mesma proporção de antes, o apresentador passou a gravar externas e o estúdio, agora, é pouco utilizado. Os números melhoraram, a média tem atingido 9 pontos, mas ainda não estão nos padrões que a rede quer.
É difícil dizer se o Vídeo Show melhorou ou piorou, mas o que chama muita atenção na nova fase é a constante "experimentação" que a direção se propõe a fazer. Não existem quadros diários. Às vezes o programa começa com um repórter, em outros dias com Zeca Camargo. Recentemente, houve um concurso para a escolha de um ator inexperiente para a nova novela das 6, "Boogie Oogie", assim como o "Vídeo Show de Bola", edição especial no auditório com assuntos relacionados a Copa do Mundo.
Saudosistas afirmarão que o programa está ruim, pois não tem feito seu velho papel, de divulgar os bastidores e as novidades das atrações da casa, a final do "Superstar", por exemplo, passou despercebida, estreias como "O Rebu" e "Malhação Sonhos", que estão para acontecer, até agora não foram lembradas.
A atração está em busca de uma nova identidade, a Globo continua utilizando o programa como ferramenta de divulgação de sua programação, mas talvez esse não seja mais o principal objetivo. E se isso vai dar certo ou se o Vídeo Show vai precisar voltar às origens quem decide é o telespectador através do share (número de televisores ligados) e consequentemente da audiência.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Notícias da manhã não alterou a média do SBT, mas é uma boa opção

Há quase um mês (9 de junho), sem muita divulgação, o SBT lançou o jornalístico Notícias da Manhã. A proposta, na verdade, foi criada para diferenciar a segunda parte (ao vivo) do SBT Manhã, apresentada por César Filho, da primeira parte que vai ao ar gravada. 
Novo cenário, links ao vivo de outras praças da emissora, prestação de serviço e linguagem não tão formal, são as principais características do programa que não esboçou nenhuma alteração na audiência desde a estreia, ou seja, os 3 pontos alcançados diariamente pelo jornalístico são os mesmos números que a atração já obtinha quando ainda fazia parte do telejornal apresentado por Hermano Henning e Joyce Ribeiro. 
O jornalismo nunca foi o forte do SBT, mas a preocupação de lançar uma nova produção, apesar de a média no Ibope não ser tão satisfatória, mostra que o canal está amadurecendo no gênero, conquistando credibilidade e que o investimento feito até aqui só tem à acrescentar a grade de programação da emissora.

          Foto: Família SBTista

quarta-feira, 21 de maio de 2014

RedeTV continua com baixos números

Há quase dois anos, comentei sobre a baixa audiência que a RedeTV! estava registrando, que também resultou em uma crise financeira após a saída da equipe do Pânico. O programa de Emílio Surita e cia. era o campeão de pontos no Ibope, com isso outras atrações da casa conquistavam números mais expressivos, seja por causa do efeito cascata (a boa audiência de um programa continua com a próxima atração) ou pela divulgação nos intervalos do humorístico.
Mas, a RedeTV! deu a volta por cima, conseguiu driblar os problemas financeiros e já se acostumou com a ida do Pânico para a Band. O que ainda não mudou é a crise de audiência da emissora que registra seus melhores resultados com apenas 2 pontos.
O que chama a atenção é falta de estratégia de uma programação que consiga fisgar o interesse do telespectador. João Kleber, tido como o principal nome do canal, juntamente com Luciana Gimenez, realmente conseguiu elevar os índices do período matutino, mas sua aparição todos os dias na grade da emissora (Você na TV, de segunda à sexta, e Teste de Fidelidade aos domingos, com reprises aos sábados), já pede descanso.


Agora, o que mais atrapalha o bom desempenho do canal de Osasco é a exibição de programas religiosos entre as produções. O TV Fama, por exemplo, que alcança os preciosos 2 pontos, entrega o horário para a Igreja Internacional da Graça de Deus, com isso o RedeTV! News, que vem em seguida, sofre para elevar a audiência e ajudar a linha de show da emissora que começa às 23 horas. O mesmo acontece com os programas Bola Dividida e A Tarde é Sua.
É claro que o canal ganha um bom valor para criar em sua grade um espaço para tais programas, mas será que compensa? Esse dinheiro não poderia vir de patrocinadores que estariam dispostos a divulgar suas marcas em atrações produzidas pelas equipes que lá trabalham?
O slogan da emissora não faz jus ao nome e decepciona profissionais da área, que perdem espaço para um conteúdo que já vem pronto, e também telespectadores que se refugiam na TV a cabo e internet. Isso é uma pena!

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Com Sabrina, Record se estabiliza na vice


Há 3 semanas a Record estreou o tão aguardado Programa da Sabrina, que em sua primeira edição conquistou expressivos 10 pontos e colocou a rede de Edir Macedo em uma confortável vice liderança.
Nas 2 últimas semanas a atração apresentou uma significativa queda, 9 (3/05) e 7 (10/05) de média, mas ainda assim, venceu o SBT. 
Talvez a audiência se estabilize entre os 7 e 8 pontos, o que explicaria os altos números das duas primeiras edições, que teriam mais um caráter de curiosidade do telespectador. É muito cedo para afirmar qualquer coisa, o que podemos ter certeza é que Sabrina Sato tem muito carisma e criou um estilo, ser ela mesmo, que conquistou o público e também a direção da Record, que decidiu investir na apresentadora da Band, desfocando a turma do Pânico.  

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Hábito é hábito

Depois de postar sobre a baixa audiência do CQC, não deixei de pensar que o hábito está para a televisão, como a bola para o futebol.
E o que isso tem a ver com o Danilo Gentili? Tudo. Até o final de 2013, o SBT não tinha um programa de grande repercussão voltado ao público jovem e o The Noite veio suprir essa carência. O talk show frequentemente marca entre 4 e 6 pontos, garantindo a vice a emissora.
É impossível não comentar a audiência que o comediante registrava no comando do Agora é Tarde, que atingia entre 3 e 4 pontos de média, e os índices que ele tem conquistado na emissora de Silvio Santos.


Depois que foi para o SBT, Gentili se mostrou um apresentador mais legal ou criativo? Não. A fórmula do late show é a mesma, o que muda é o hábito de assistir televisão em determinado canal. A Band é a quarta emissora da TV aberta mais assistida do país. Naturalmente registra números mais baixos que as 3 primeiras colocadas, assim como, durante a transmissão do futebol, na maioria das vezes, consegue o segundo lugar, porque até hoje é lembrada como o "canal do esporte".
Então, se o programa de Danilo fosse exibido na Globo ou Record alcançaria o primeiro lugar? Provavelmente sim. É claro que, para toda regra existe uma exceção. Mas, o que importa para o SBT é que o The Noite provou ser o maior acerto do canal, após o investimento em dramaturgia infantil.  

segunda-feira, 12 de maio de 2014

CQC continua em baixa

As férias e o carnaval já passaram. E o que isso tem de importante? É depois desse período que as emissoras costumam lançar sua programação definitiva que, normalmente ficará no ar até o fim do ano. É o que acontece com o CQC, que voltou com nova temporada após dois meses fora do ar.
No ano passado, após 4 edições do programa, esse blog postou uma crítica sobre os números alcançados pelo humorístico, que estavam dentro dos padrões da Band, mas são considerados baixos quando comparados à qualidade do mesmo.
Nesse ano, após 8 segundas-feira, voltamos a analisar os índices da atração que caíram ainda mais. Em 2014, apenas a estreia obteve média 5, as demais edições do programa se dividiram entre 3 e 4 pontos.
Um dos motivos para esses números, pode ser a alta concorrência, como é o caso do Repórter Record Investigação, que em apenas 2 edições conquistou médias de 9 e 7 pontos. Outro fato é a reprise que acontece aos sábados, com uma segunda opção de exibição, o telespectador pode assistir outro programa e conferir o humorístico nos finais de semana.

  Foto: CQC

Não é segredo que o CQC gera uma receita bastante significativa para a Band através dos patrocínios que o programa recebe, além de ter grande repercussão nas redes sociais. Por isso, a atração terá (graças à Deus) vida longa na programação da emissora. Mas, se a diretoria realmente se preocupa com os resultados, fica a dica para a criação de estratégias que melhorem a atual situação do programa.      

sábado, 1 de junho de 2013

Sangue Bom ainda não decolou

Cheias de Charme alcançou uma popularidade fora do comum e conquistou diversos fãs com sua história marcante. A novela das Empreguetes deixou muitos órfãos e o público demonstra essa saudade através dos números no Ibope.

Foto: Veja SP

É preciso esclarecer que, audiência não demonstra popularidade e aceitação dos telespectadores, Avenida Brasil, por exemplo, registrava números inferiores à de sua antecessora, Fina Estampa. Mas, também é impossível não comparar os índices atingidos pelas tramas seguintes: Guerra dos Sexos e Sangue Bom.
A atual novela das 7, estreou com 28 pontos, fechando a primeira semana de exibição com 25 de média. Atualmente a novela tem atingido entre 23 e 25 pontos, resultados superiores aos do remake de Silvio de Abreu, mas bem distantes dos ótimos números do fenômeno escrito por Filipe Miguez e Isabel de Oliveira.
É cedo para dizer se Sangue Bom vai ou não ser um grande sucesso, porém as médias atingidas demonstram que ela tem um longo percurso pela frente para reconquistar a audiência e brilho da história das 3 empregadas mais queridas do Brasil.

terça-feira, 9 de abril de 2013

CQC está em baixa

A Band, principal veículo do Grupo Bandeirantes é quarta maior emissora da TV aberta. Seus melhores resultados, em audiência, são a exibição de jogos de futebol e programas de humor, como Pânico e CQC, esse último, aliás, é um dos programas mais populares do gênero e apesar de registrar números que estão dentro do objetivo do canal, a audiência do humorístico poderia ser melhor.

 Foto: Band

Nas duas primeiras edições da nova temporada (18 e 25 de março) a atração alcançou 5 pontos. Já na disputa com o Astros, (1 e 8 de abril) o programa comandado pelo jornalista Marcelo Tas marcou apenas 4. Ainda assim, a média está adequada para os padrões da Band que registra índices parecidos com o futebol, por exemplo, que atinge entre 4 e 6 pontos, dependendo da partida.
O que fica difícil de entender, é, como um programa que além de entreter, também oferece prestação de serviço, alcance números tão baixos, que não são capazes de sequer preocupar a Globo, por exemplo, que exibe filmes, que podem ser alugados ou baixado pela internet.

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Bozo garante a vice para o SBT

Desde que estreou aos sábados no SBT, o programa Bozo vem crescendo na audiência e melhorado os índices da emissora no horário.

 Foto: SBT

O canal de Silvio Santos está passando por uma má fase com suas atrações infantis desde o segundo semestre de 2012 (Recentemente o Ibope confirmou não medir a audiência assistida por crianças de 4 à 10 anos). Programas como, Bom Dia e Cia. e Sábado Animado sofreram baixas e costumam registrar 4 e 5 pontos, diferente dos 6 que constantemente marcavam no começo do ano passado. 
As primeiras edições do show do palhaço comprovam esses números. Em 16 de fevereiro, dia de estreia, a atração teve média de 4. Mas, nos últimos dois sábados (23 e 30 de março), Bozo e sua turma registraram 6 pontos, elevando os números alcançados pelo programa antecessor. Apesar das criticas que recebeu quando comparado aos velhos tempos, o personagem que marcou a história do SBT nos anos 80, está mostrando que ainda tem força para brigar pela liderança, pois a vice já está garantida.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Flor do Caribe melhora a audiência do horário das 18h

A novela Lado a Lado apesar de receber ótimos elogios quanto ao texto, elenco, fotografia e etc., não manteve os números de sua antecessora, Amor Eterno Amor, e diminuiu a audiência da Rede Globo na primeira hora da faixa nobre (18h às 24h).


Para reverter a situação a emissora lançou todas as suas expectativas na nova trama de Walter Negrão, Flor do Caribe, que até agora está com média de 18 pontos, a mesma atingida pela novela protagonizada por Camila Pitanga e Marjorie Estiano, mas que já mostrou melhores índices em algumas ocasiões, onde chegou a atingir 20 e 21 pontos.
Resta acompanhar a história para saber se os números vão continuar agradando.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Programa da Tarde cresce e rouba a vice do SBT

As atuais novelas reprisadas nas tardes do SBT, exceto A Usurpadora, não estão dando bons resultados de audiência e os índices de histórias como Rosalinda e Jamais te Esquecerei dificilmente ultrapassam os 4 pontos, diferente de outras obras que foram exibidas no horário vespertino da emissora, como Amigas e Rivais e Esmeralda que chegavam a 6 pontos.

Foto: RD1

Quem se deu bem com os folhetins escolhidos pelo SBT foi o Programa da Tarde da Record que viu seus números subirem nas últimas semanas. Em janeiro a atração tinha média de 3 e 4 pontos, já no final de fevereiro e começo de março as médias registraram 5 e 6 pontos. No dia 14 de março, por exemplo, o programa apresentados por Britto Junior, Ana Hickmann e Ticiane Pinheiro teve seu recorde desde a estreia e atingiu 9 pontos de média. A Record sempre deu grande importância ao jornalismo na sua programação desde que o bispo Macedo comprou o canal e isso tem feito a diferença, pois sem copiar ninguém e apostando naquilo que é o seu forte, a emissora está conquistando ótimos índices durante todo o horário vespertino com sua programação inteiramente ao vivo para cobrir os factuais do Brasil e do mundo.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Novo formato não melhora a audiência do Carrossel Animado

No dia 25 de fevereiro, o Carrossel Animado com Patati e Patatá estreou um novo formato, com mais brincadeiras e personagens, além de ganhar uma plateia.
Tudo isso foi feito para tentar elevar os índices da atração que nunca foram bons, mas que ultimamente estão muito baixos. Os números apontam média de 2 e 3 pontos para o infantil, mesma audiência que o programa já registrava antes da reformulação.

Foto: SBT

Se observarmos o que aconteceu com a grade das principais emissoras no período matutino, veremos que todas passaram por ajustes. Por exemplo, a Rede Globo precisou aumentar 15 minutos dos jornais Bom Dia São Paulo e Bom Dia Brasil para barrar o crescimento do Fala Brasil da Rede Record. Naturalmente o Mais Você passou a ser exibido 30 minutos mais tarde, depois veio a estreia do Bem Estar e por último o Encontro com Fátima Bernardes. Toda essa alteração não aconteceu de uma vez, foi um processo onde a emissora carioca percebeu que programas para o público adulto dariam mais audiência, isso resultou na extinção da programação infantil nos dias de semana. 
A mesma situação também aconteceu com o próprio SBT, que viu a necessidade de maior prestação de serviço e precisou lançar um telejornal voltado para a cidade de São Paulo. Assim, o Carrossel Animado que começava às 7 da manhã, passou a entrar no ar às 8. 
Talvez, o problema da baixa audiência da dupla de palhaços não esteja na atração e sim no horário em que é exibido. Encomendar uma pesquisa para saber quem está na frente da televisão se faz necessária. Quem sabe se começando mais tarde o programa melhore seus resultados? 

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Desgaste do Cante se Puder

Quando estreou na grade (janeiro de 2012) o programa Cante se Puder foi uma atração que colocou o SBT na briga para retornar à vice liderança por causa dos bons resultados alcançados, com as médias entre 8 e 9 pontos.
Mas, a emissora tem o péssimo costume de deixar um formato estrangeiro por muito tempo no ar, o que resulta em um desgaste. É o que está acontecendo com o programa de Marcio Ballas e Patrícia Abravanel.


A falta de inovação da competição, apesar da apresentação de provas diferenciadas, fez os números despencarem, a média atual é entre 4 e 5 pontos, fazendo a atração, às vezes, ficar em quarto lugar na audiência, atrás da Band, Record e Globo.  
Como é um formato comprado, pouco se pode mexer nos quadros e desafios, o que o SBT precisa mesmo fazer é dar um descanso para o programa.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Novelas da Globo e Record melhoram seus índices em 2013

A dramaturgia da Globo e Record ainda continuam em crise, porém em 2013 as atuais tramas das duas emissoras melhoraram seus os números.
Malhação, desde a segunda semana de janeiro, tem alcançado médias de 15 e 17, na segunda-feira (28/01), por exemplo, a atração teen registrou 19 pontos, realidade bem diferente do que os números marcados desde a estreia da atual temporada que costumava marcar entre 11 e 14 pontos.
Lado a Lado, que já chegou marcar 13 pontos, já respira melhores ares, suas médias atuais, com frequência, batem a casa dos 20 e 22 pontos. Destaque para o recorde de 25, quando a protagonista Isabel descobriu que seu filho não estava morto.
Guerra dos Sexos ainda patina e seus números estão estabilizados entre 22 e 24 pontos. Com algumas exceções o remake alcança 25 pontos.


Depois de registrar baixos índices e sofrer várias comparações com Avenida Brasil, a atual novela das 9, Salve Jorge, bateu recordes nos últimos dias, alcançando 37 e 39 pontos, números abaixo da média estipulada pela Globo que espera 40. Glória Perez está dando maior destaque para os personagens que conquistaram o público e isso tem ajudado a trama a elevar sua audiência.
Balacobaco, da Record, também cresceu na média nos últimos dias e viu seus números estabilizados entre 5 e 6 pontos subirem para 7 e em alguns dias chegarem a 8 e 9. Com isso, a novela assumiu a vice liderança no lugar do Programa do Ratinho, que atualmente tem marcado 6 pontos.      

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Audiência estabilizada ou baixa?

Alguns programas do SBT estão chamando a atenção por causa de seus números no Ibope. 
Bom dia e companhia, por exemplo, sofreu uma considerável queda depois que o Encontro com Fátima Bernardes estreou na Rede Globo. Com médias de 4 e 5 pontos, antes 6 no confronto com a TV Globinho, o programa comandado por Priscilla Alcantara e Bozo com frequência conquista o segundo lugar no horário de exibição, porém com números mais baixos. 


Outro caso é o programa da Eliana, que há meses está na vice liderança com 7 pontos estabilizados, ou seja, não sobe nem desce, mas permanece com os mesmos números. Isso é ótimo para a emissora, porém são resultados abaixo de outros tempos quando a apresentadora permanecia na terceira posição na audiência, onde tinha uma média de 8 e 9 pontos, contra 10 e 11 do Programa do Gugu, na Record, que agora está na terceira colocação com média de 6. 

Foto: SBT

Os sábados não costumam ser muito bons para o canal de Silvio SantosRaul Gil que normalmente é a maior audiência da casa no dia, também está com dificuldades de superar a média baixa e estabilizada que conquistou durante o ano de 2012. Mesmo fechando com 6 pontos na maioria das vezes, a atração já chegou fechar com apenas 3 pontos. 
Novos quadros, diminuição da duração do programa e um produto que entregue o horário com uma boa audiência para o apresentador são algumas das estratégias que podem ajudar o programa se recuperar.   

Foto: SBT

Em outro post, publiquei que o seriado Chaves era um dos motivos para o Domingo Legal começar com uma baixa audiência a partir das 11h da manhã. Porém, o que se percebe é que o programa de auditório mais popular do SBT está acomodado com os números que costuma alcançar no horário. Pouco investimento e reprises de arquivos da atração, como o Telegrama Legal, estabilizaram a média entre 5 e 6 pontos, o que na maioria das vezes deixava o canal no segundo lugar. 
Mas, desde o primeiro domingo de 2013 a Record reestreou o Tudo a Ver, programa com vídeos da internet e câmeras escondidas, ou seja, investimento baixíssimo, que está na cola da atração de Celso Portiolli.
Das 3 edições que enfrentaram o Domingo Legal até agora, houve duas vitórias do SBT com muito aperto e um empate. Veja os números:

Dia 06/01 - DL 5 X TV 5
Dia 13/01 - DL 5.8 X TV 5.7
Dia 20/01 - DL 5.3 X TV 4.9


Está na hora da equipe do programa produzir conteúdo mais atrativo e criativo para conquistar seu objetivo que é a vice liderança com uma certa distância nos números.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Grandes apostas na programação de 2013

No começo de ano vários programas entram em férias e as emissoras precisam lançar novas atrações para atrair o público. A Globo apostou em filmes nacionais, microsséries e o tradicional Big Brother Brasil.
O SBT lançou apenas uma novidade, o Amigos da Onça, já as outras atrações da faixa nobre estão em reprises, caso do SBT Repórter, De Frente com Gabi, A Praça é Nossa e Conexão Repórter.
RedeTV! e Record também não lançaram novos programas, exceto a reexibição da minissérie Sansão e Dalila no canal de Edir Macedo.   
Já a Band foi a emissora da TV aberta que mais apostou em novidades na programação da faixa nobre em 2013. Realitys e séries ocuparam os horários das principais atrações da casa.

Foto: Band

Os Simpsons, que desde 1 de janeiro está substituindo o game show Quem fica em pé?, alavancou a audiência da faixa das 21h30 com 3 e 4 pontos e picos de 5. Diferente da atração comandada por José Luiz Datena que nos últimos meses estava marcando apenas 1 de média.
Outra atração que teve uma boa estreia foi a série The Walking Dead que marcou 6 pontos. Além disso, a emissora ainda conta com as novas temporadas do realitys Mulheres Ricas e o Mundo Segundo os Brasileiros e a série Roma.

Foto: Band

sábado, 12 de janeiro de 2013

SBT em baixa no início de 2013

Na época de natal e ano novo é normal a audiência dos programas de televisão diminuírem, mas as festas já acabaram e alguns programas do SBT, que costumam marcar bons números no Ibope, ainda não se recuperaram e continuam em baixa.
É o caso do SBT Brasil. O tele jornal que tem média na casa dos 6 pontos, atualmente está marcando entre 3 e 5 e enfrentando dificuldades de barrar o crescimento do jornalístico Cidade Alerta da Record.


Outra atração que já não rende mais é o Casos de Família, o programa de Cristina Rocha que tem média de 5 pontos e as vezes chega aos 6, viu seus números caírem e marcarem apenas 3 nos primeiros dias de 2013.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Tapa buraco da programação do SBT

O seriado Chaves, apresentado em diversos horários, como: de segunda à sexta às 18h, sábados às 6h e 19h15 e domingos às 9h, como muita gente sabe, é um tapa buraco da programação do SBT, mas essa falta de investimento na grade atrapalha a audiência de outros programas da casa.

Foto: SBT

Nos domingos, por exemplo, a atração mexicana perde constantemente para o desenho Pica Pau, exibido pela Record, com isso, o Domingo Legal começa com baixos números e precisa se desdobrar para atrair o público e conquistar a vice-liderança.
Outro programa prejudicado por causa da história do menino que mora em um barril é o SBT Brasil, o  telejornal que até consegue manter uma boa audiência no horário, poderia ter um desempenho melhor se recebesse de uma atração com o mesmo perfil de telespectadores.
Mas, o pior de tudo não é a grande exposição do infanto juvenil e sim o descaso de como o programa é levado ao ar. Frequentemente os episódios passam por uma edição para caber dentro do horário previsto e quem está assistindo percebe, pois os cortes são muito nítidos.
Já está na hora do SBT produzir programas que substituam o seriado e que vão reagir na audiência e colocar o Chaves em um único horário, onde a atração poderá ser exibida por completa sem que haja saturação.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Novelas em crise

Globo e Record estão enfrentando uma má fase em suas novelas. O horário político é um dos fatores que diminuíram os números das novas atrações das duas emissoras.


Foto: Link Atual

Como dito num post anterior, a novela voltada para o público juvenil, Malhação, apesar de apostar numa nova temporada, com histórias que se alteram a cada duas semanas, perdeu força e vem registrando entre 11 e 14 pontos.
      

Lado a Lado, que estreou durante o horário político gratuito, além de começar 15 minutos mais cedo, também tem a difícil missão de segurar a média atingida por Amor Eterno Amor que era de 23 pontos, mas não é isso que está acontecendo. A trama diariamente fecha entre 17 e 19 pontos e já é considerada como o maior fracasso das novelas das 6.
Outra história que está com difícil aceitação entre o público é o remake Guerra dos Sexos. A ultrapassada briga entre homens e mulheres vem conquistando média de 24 pontos, 8 a menos que sua antecessora, Cheias de Charme, alcançou na reta final. Aliás, a novela das empreguetes, só perdeu audiência por causa da propaganda política. Enquanto era exibida no horário tradicional, alcançava até 36 pontos de média, um fenômeno para a faixa das 7.


Apesar dessas obras permanecerem abaixo dos números desejados, a Globo continua líder de audiência em todos os horários de suas dramaturgias. Agora, quem está enfrentando uma crise sem fim é a Record.
Depois de alterar a exibição e diminuir os capítulos da fracassada Máscaras, a TV da Barra Funda buscou em uma nova trama a solução para os seus problemas. Balacobaco, além de ter linguagem de novela das 7 diminuiu ainda mais a participação da Record na faixa nobre.
Com a missão de recuperar a vice liderança, tomada pelo SBT, a história de Gisele Joras estreou na terceira posição com 8 pontos, mas também já chegou a amargar na casa dos 4, permanecendo com média de 5.

Foto: CNTV

As duas emissoras, daqui pra frente terão que buscar alternativas para subir seus índices, como: dar mais espaço para os personagens favoritos do público, alterar o destino de outros e buscar satisfazer o gosto do telespectador que hoje, mais do que nunca, está exigente. 

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Programação vespertina na TV aberta em baixa

Programas exibidos durante as tardes dos três principais canais da TV aberta do país não estão alcançando índices satisfatórios em audiência.

Rede Globo

A TV da família Marinho está sendo muito prejudicada com os números baixos. O Vídeo Show, programa que divulga a programação e o arquivo da emissora carioca, ultimamente vem passando por alterações constantes para segurar os telespectadores. A média da revista eletrônica, atualmente, tem sido entre 11 pontos.
Esses números costumam subir com o Vale a Pena Ver de Novo, mas a ideia de reexibir a novela Da Cor do Pecado não foi bem aceita e a história de João Emanuel Carneiro está fechando com os mesmos índices da atração que a antecede. Isso também está acontecendo com a Sessão da Tarde, que tem registrado 11 pontos para as tardes da emissora.
Por causa do período eleitoral, a maioria dos programas da faixa nobre foram prejudicados, pois passaram a ser exibidos minutos mais cedo, mas como o post é sobre o horário vespertino vamos falar apenas da nova temporada da novela teen Malhação que durante o horário político amargou entre 11 e 14 pontos.

Record

Não é de hoje que a Record está perdendo para o SBT durante as tardes. O Programa da Tarde foi a nova alternativa da emissora do bispo Macedo para tentar retomar o segundo lugar neste horário. A atração começou com boa audiência, entre 5 e 6 pontos, mas logo perdeu força e se tornou mais uma decepção do canal paulista na tentativa de ver seus índices subirem.

Foto: R7

SBT

 Foto: SBT

Desde que apostou nas reprises de 3 novelas durante suas tardes, o SBT enxergou a possibilidade de recuperar o segundo lugar. Mas, nem todas produções alcançam a média desejada pelo canal.
A versão brasileira de Pequena Travessa, exibida às 14h30, foi uma exceção. A reprise atingia 4 pontos, perdendo, assim, para a atração da Record apresentada por Britto Junior Ana Hickmann. Mas, sua substituta, a mexicana Gotinha de Amor, está atingindo ótimos índices (dentro do objetivo de sua diretoria) recuperando a vice liderança para a emissora de Silvio Santos com 5 e 6 pontos.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Estratégia mal planejada

Recentemente o SBT estreou a disputa para escolher O Maior Brasileiro de Todos os Tempos nas quartas-feiras, logo após o programa Cante se Puder. Com isso, o jornalístico Aventura Selvagem, que ocupava essa faixa, foi jogado para os sábados às 18h30.
Um dos motivos, creio eu, para que a emissora tomasse essa decisão, foi a tentativa de polpar a atração do apresentador Raul Gil que a partir das 18h costumava perder pontos no Ibope por causa de sua longa duração, que permanecia no ar durante 5 horas, ou seja, das 14h15 até às 19h15.



Com essa escolha o maior prejudicado foi o biólogo Richard Rasmussen, que teve uma queda muito significativa de audiência, pois enquanto seu programa marcava 6 pontos nas noites de futebol, o mesmo passou a ter média de 4 no novo dia e horário apresentado. A diferença dos números pode não parecer tão grande, mas é preciso analisar que às quartas a atração costumava ser exibida perto da meia noite, o que representava um alto número de share (televisores ligados) para o canal paulista.
Outro fator importante é a baixa audiência que a competição de origem estrangeira tem tido no horário que passou a ocupar. A média entre 4 e 3 pontos também pode ser explicada por causa das reprises feitas aos sábados, algo que, com certeza, diminui a disputa no Ibope, já que as pessoas têm a possibilidade de assistir o programa nos finais de semana, que também permanecem com baixos índices.